A CIDADE DA BAHIA PEDE SOCORRO

transito-funil-Cau

Ilustração: CAU GOMEZ

transito-carros_simanca

Ilustração: SIMANCA

transito-et-Cau

Ilustração: CAU GOMEZ

ABC DE SALVADOR


por LOURENÇO MUELLER


MEU PASSEIO TEM BURACOS

ONDE A GENTE TORCE O PÉ

NINGUÉM FAZ NADA POR ISSO

MESMO ASSIM NÃO PERCO A FÉ


NÃO PERCO A FÉ NO ALCAIDE

POIS EU MESMO O ELEGI

VAI QUE ELE NEM SABIA

DESSE BURACO DAQUI


BURACOS NO MEU PASSEIO

BURACOS NA MINHA RUA

SÃO TANTOS ESSES BURACOS

QUE ESSE “ABC” CONTINUA


C’OS BURACOS DA MINH’ALMA

JÁ CANSADA DE ESPERAR

QUE UM BELO DIA APAREÇA

ALGUÉM QUE POSSA AJUDAR


AJUDAR A COMPREENDER,

A RESOLVER A CIDADE

CIDADE ONDE EU NASCI

E FIZ UNIVERSIDADE


DEPOIS CONHECI O MUNDO

QUE SE DIZ CIVILIZADO

VI MUITA COISA DECENTE

MUITO LUGAR “DESCOLADO”


MAS É DESTA URBE AGORA

QUE QUERO SEGUIR FALANDO

DOS POLÍTICOS DAQUI

QUE POUCO ESTÃO SE IMPORTANDO


QUE AS CASAS DESAPAREÇAM

DESPENCANDO DAS ENCOSTAS

BARBEIROS, AEDES AEGIPTY

NOS PICANDO PELAS COSTAS


QUE’OS CARROS NOS ATROPELEM

MESMO EM CIMA DAS CALÇADAS

E MENINOS NOS SINAIS

NOS FAÇAM SENTIR CULPADAS


POUCOS ESTÃO SE IMPORTANDO

COM IDEIAS URBANÍSTICAS

CAPAZES DE EXORCIZAR

TODAS AS COISAS MÍSTICAS


DA AFRO CIDADE BAHIANA

CIDADE DA CAPOEIRA

CIDADE DO CANDOMBLÉ

MAS DE TANTA DESGRACEIRA…


…E ELES SEGUEM VOANDO

COM AS PASSAGENS DE GRAÇA

SE LOCUPLETANDO E RINDO

DO MEU POVO E SUA DESGRAÇA


O QUE EU QUERIA MESMO

ERA UMA CIDADE FELIZ

MAS SERÁ QUE TEM A VER

COM SUA FORMA DE SER?


SE TEM A VER COM A FORMA

O DESENHO DA CIDADE

VOU SEGUINDO ESTE RISCO

PROJETANDO O ASTERISCO…


MAS É SÓ ZONEAMENTO

RESPEITANDO A DENSIDADE

ÍNDICE DE UTILIZAÇÃO

E TAXA DE OCUPAÇÃO


QUEREMOS UMA CIDADE

QUE SEJA COMO O ARCOÍRIS

ILUMINE NOSSA ÍRIS

E VIVA A DIVERSIDADE


QUE ATRAVÉS DESSE OLHAR

CADA QUAL EM SEU ESPAÇO

SE VIVA COMO QUISER

SE MORE NESSE PEDAÇO


E ASSIM NO PENSAMENTO

CARREGADO DE UTOPIA

TUDO É MUITO COLORIDO

E JAMAIS PERDE O SENTIDO


MAS DESPERTANDO DO SONHO

SINTO A DURA REALIDADE

OLHO AO REDOR DE MIM

E VEJO A PERVERSIDADE


DESCONFIO QUE NEM SE POSSA

SER FELIZ NESTE LUGAR

POR CONTA DA INSEGURANÇA

E DO POUCO AMOR PRA DAR


E TAMBÉM PORQUE A CIDADE

FICOU FEIA DE DOER

POR CAUSA DE UNS ESPIGÕES

SÓ TE CHAMANDO PRA VER


EU ME RESERVO O DIREITO

DE FUGIR FIM DE SEMANA

SAIR DESTE NÃO-LUGAR

PRA TOMAR BANHO DE MAR


MAS SÓ SAIO DA CIDADE

POR NÃO ENCONTRAR PESSOAS

CAPAZES DE CONVIVER

COMER, BEBER E VIVER


MAS POR QUE ESSAS PESSOAS

NÃO SAEM MAIS DOS CASULOS?

É FALTA DE ENTENDIMENTO?

DIFÍCIL O DESLOCAMENTO?


SE DESLOCAR NA CIDADE

CADA VEZ MAIS COMPLICADO

MAIS DIFÍCIL E PERIGOSO

MELHOR FICAR OCIOSO


E NESSA OCIOSIDADE

A BARRIGA VEM CRESCENDO

VAI FICANDO ARREDONDADA

POR CULPA DESSA MORADA


MAS NÃO É DESSA MORADA

QUE ME TOCA FALAR MAL

PREFIRO MALHAR O RESTO

NESSE CONTEXTO GERAL


CONTEXTO GERAL URBANO

DE UM SOLO-MERCADORIA

QUE SE VENDE, QUE SE TROCA

QUE VIROU ALEGORIA


QUE O SOLO É COMO O PENDÃO

QUE “A BRISA BEIJA E BALANÇA”

E QUE TANTO INFLUENCIA,

DO BRASIL, NA GOVERNANÇA


O SOLO NÃO PODE SER

PRIVATIZADO NA URBE

TEM QUE SER DA UNIÃO

PRA QUE NINGUÉM SE PERTURBE


DA ALDEIA ÀS MEGALÓPOLIS

PASSOU-SE MUITO LIGEIRO

SÓ QUE NINGUÉM LEMBROU

QUE O CARRO CHEGOU PRIMEIRO


E FERROU COM TODO MUNDO

MATOU GENTE NAS CALÇADAS

TIROU O POVO DAS RUAS

MERECIA UMAS PALMADAS


MAS NÃO! ATÉ GANHA APLAUSOS

ESSE REIZINHO DO CONSUMO

ESSA CARROÇA ASSASSINA

QUE COM POVO NÃO COMBINA


ENTÃO SÓ HÁ MESMO UM JEITO

DE ACABAR COM ESSA MATANÇA

TIRAR DAS RUAS O DITO

E DESFAZER ESSE MITO


OS CARROS SÃO SÓ UM MITO

POIS COM TANTOS DELES JUNTOS

NA CIDADE ENGARRAFADA

A VIDA FICA ENTALADA


ENTALADA EM MINHA GARGANTA

DE URBANISTA IMPOTENTE

PRA DIZER A QUEM DECIDE

QUE CARRO SÓ MATA GENTE


QUE NOS TIRA NOSSA PRAÇA

NOSSA RUA E MEU JARDIM

QUE NÃO RESTA MAIS LUGAR

ONDE NÃO QUEIRA PARAR


MUDOU-SE A CARA DE TUDO

TRAMA VIÁRIA INFERNAL

PRA PERMITIR QUE A CARANGA

NOS ATROPELE AO FINAL


CAUSA QUE MATA MAIS

QUE AIDS, CÂNCER OU CORAÇÃO

O CARRO NA BIG CITY

AGORA É O GRANDE VILÃO!


TIREMO-LO PELO MENOS

DOS NOSSOS CENTROS URBANOS

SE ALGO TEM QUE DESVIAR

NÃO SEJAM OS SERES HUMANOS


SEJAM ENTÃO AS VIATURAS

ESTAS MALDITAS FIGURAS

ENCOURAÇADAS EM AÇO

PRA MELHOR TIRAR PEDAÇO


SOBRETUDO DOS MAIS POBRES…

MAS RICOS TAMBÉM SE ATROPELAM

OU ATIRAM NO OUTRO ENTE

QUE NÃO QUIS SAIR DA FRENTE


JORNAL, REDE E TV

VEMOS ISSO TODA HORA

REPITO, SÓ HÁ UM JEITO

É DEIXAR ELE DE FORA


DE FORA DESSE CONTEXTO

DE FORA DO NOSSO TEXTO

REDESENHAR A CIDADE

ACHO ESSE UM BOM PRETEXTO


DE SEPARAR BEM AS COISAS

NÃO QUERO MATAR O CARRO

MAS QUERO QUE NÃO NOS MATE

E NÃO SEJA UM DISPARATE…


NÃO GASTE TANTO PETRÓLEO

NEM SE POLUA TANTO

SE OCUPE MENOS ESPAÇO

SE VIVA COM MAIS ENCANTO


ENCANTO DE ANDAR NAS RUAS

LADRILHADAS COM PEDRINHAS

TRANSFORMADAS EM JARDINS

PARA VER MEU BEM PASSAR


NOSSA CIDADE UTÓPICA

DA ARTE SERIA O CENTRO

NAS RUAS, O ELEMENTO

DE TODO ESSE ENCANTAMENTO!


VOLUMES ACIMA DO SOLO

O TÉRREO TODO VAZADO

MISTURADO COM AS FLORES

TUDO MUITO BEM CUIDADO


CADA UNIDADE UMA ALDEIA

CONDOMÍNIO SUSTENTÁVEL

PRA TRANSFORMAR ESSE NÚCLEO

EM UM NEGÓCIO VIÁVEL


NA CIDADE DOS SENTIDOS

EM CADA ALDEIA UM DISCURSO

ALEGRIA, HUMOR E ARTE

E ASSIM SE ACABA ESSA PARTE.


Anúncios

Tags: , , , ,

5 Respostas to “A CIDADE DA BAHIA PEDE SOCORRO”

  1. LOURENÇO MUELLER Says:

    PROFUNDAMENTE AGRADECIDO A JARY CARDOSO POR TER POSTADO O ABC DE SALVADOR COMPLETO NESTE SEU BLOG QUE COMEÇA A SE TRANSFORMAR NUMA PLATAFORMA INTERATIVA DE DEBATE ESPECIALIZADO SOBRE SALVADOR, SALVADOLORES, PARA USAR O POÉTICO BATISMO DA NOSSA CIDADE FEITO POR FERNANDO DA ROCHA PERES.

    Talvez este ciberespaço (o blog JEITO BAIANO) com estas características literárias, socioantropológicas e urbanísticas, e interativas, claro, seja único em Salvador.
    Precisamos, todos que gostamos, amamos esta cidade como um ente familiar querido, as suas práticas populares, o seu espaço geográfico, a sua cultura… a sua baianidade… fazer a conexão do virtual para o real e vice-versa, de alguma forma, socializar essas discussões, encontrar uma linguagem, ou linguagens (o cordel é apenas uma), enfim, ‘botar nosso bloco na rua’ mas sem cordas e cordeiros, como sonharam Dodô e Osmar um dia.

    MAIS UMA VEZ, BRAVO JARY, PRIMEIRO POST, DEPOIS OS DENTES…

  2. maisa paranhos Says:

    Lindo! Uma proposta do começo ao fim a todos os homens de boa vontade, é claro. Uma maravilhosa síntese.
    Que nossa UTOPIA seja recolocada, ou seja, que nossa “cidade dos sentidos” venha a ser inclusa, que ganhe existência. Seria um bom começo, “o lugar comum”, o óbvio: transportes coletivos eficientes, menos poluentes e com cobertura para TODA A URBES, todos os horários, e assim vai.
    Desculpe, Mueller, não quero ser reducionista com sua linda proposta e grande angústia, mas acredito que as utopias possam deixar de sê-lo, não porque foram esquecidas, mas porque foram realizadas, e criaremos outras e as perseguiremos…

  3. LOURENÇO MUELLER Says:

    Oi Jary, sou eu de novo: notei num verso que v. postou a nona estrofe assim:

    QUE’OS CARROS NOS ATROPELEM

    MESMO EM CIMA DAS CALÇADAS

    E MENINOS NOS SINAIS

    NOS FAÇAM SENTIR CULPADOS

    e é ” culpadas” [pessoas] para rimar com calçadas.
    Ainda dá para mudar?

    E aproveito para agradecer o elogio bondoso de Maisa Paranhos…

    • jarycardoso Says:

      Caro amigo Lourenço, esse seu comentário insinua que sou seu inimigo ao me fazer uma grave acusação: a de que eu teria alterado a concordância de um verso de sua obra poética – eu jamais cometeria tal crime, nem mesmo contra um inimigo… Do jeito que recebi o ABC eu o postei, apenas acentuando palavras que foram digitadas sem acento. De qualquer maneira, está feita a correção. Mas, como propõe o Zé Celso, vamos resgatar o Amor que retiraram do lema comtiano inspirador de nossa bandeira e vamos deixar essa coisa de inimigo pra lá. Você está perdoado, com amor, ainda mais que devo reconhecer a emoção legal sentida quando recebi o seu primeiro comentário a este post, no qual você faz bela conclamação geral pra gente avançar do virtual até a realidade concreta da necessidade de salvar a nossa Cidade da Bahia!

  4. LOURENÇO MUELLER Says:

    Então assumo que mandei errado, na pintura está no feminino, v. sabe que escrevo esses cordéis nos meus quadros…
    Mas a emoção é a grande distinção do ser humano para os animais, embora eu não esteja bem certo de que não se emocionam, quem já ouviu um ‘sofrê’ cantar, ou os seus canários (até por telefone) fica meio desconfiado. Falar em emoção fui sexta ver “A Tosca” no Unibanco e o tenor ao cantar “E lucevan le estelle” tremia. Tremia todo de emoção, só indo ver pra constatar… e se emocionar também.

    E vamos continuar nosso trabalho quixotesco de sensibilizar os cidadãos para sua cidade…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: