MARIA DA PENHA, MÃE STELLA, DONA CANÔ

 

MULHERES EXTRAORDINÁRIAS

 

por JORGE PORTUGAL

Mulheres extraordinárias deveriam ocupar, na mídia, espaço igual ou maior ao dedicado a mulheres enfiadas, não acham? Até porque o trabalho das mulheres extraordinárias é contínuo, persistente, muitas vezes heroico e, não raro, silencioso.

As mulheres enfiadas aparecem do nada para os “quinze minutos de fama” e depois desaparecem para sempre, após terem saciado a fome voraz da mídia-urubu.

Mas, como não é por aí que passa a lógica dos nossos comunicadores sociais(?), valho-me deste humílimo espaço (*) para ovacionar três mulheres que, pela história, pensamento e ação, tornaram-se – sem o serem oficialmente – professoras de verdade.

Maria da Penha Maia Fernandes, inspiradora da lei que combate a violência contra a mulher, fez uma visita à Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, no bairro dos Barris, em Salvador. Na foto de IRACEMA CHEQUER (Agência A TARDE) ela é recebida pela presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Silvia Zarif (em pé ao seu lado), e homenageada pelas funcionárias da Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher

Maria da Penha Maia Fernandes, inspiradora da lei que combate a violência contra a mulher, fez uma visita à Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, no bairro dos Barris, em Salvador. Na foto de IRACEMA CHEQUER (Agência A TARDE) ela é recebida pela presidente do Tribunal de Justiça, desembargadora Silvia Zarif (em pé ao seu lado), e homenageada pelas funcionárias da Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher

A primeira é Maria da Penha Fernandes que, passando por Salvador na semana passada, lotou o teatro do ISBA para nos contar sua trajetória de luta e a disposição incansável em afirmar os princípios da lei que leva o seu nome e representa hoje uma carta de alforria para todas as mulheres oprimidas e vítimas constantes da violência dos seus maridos e companheiros.

Da sua cadeira de rodas, nos fez enxergar uma alma em movimento, e a determinação tenaz de defender a vida em um país dominado pela paralisia ética.

 

Mãe Stella no terreiro do Ilê Axé Opô Afonjá, em São Gonçalo do Retiro (Salvador-BA), na véspera da festa pelos 70 anos de sua iniciação no candomblé. Foto: MARGARIDA NEIDE | Agência A TARDE

Mãe Stella no terreiro do Ilê Axé Opô Afonjá, em São Gonçalo do Retiro (Salvador-BA), na véspera da festa pelos 70 anos de sua iniciação no candomblé. Foto: MARGARIDA NEIDE | Agência A TARDE

A segunda, Mãe Stella de Oxóssi, já tem a sua história contada pela cor da pele. Com a responsabilidade, muito cedo, de dirigir sua comunidade religiosa, impôs-se pela autoridade do olhar e a ternura dos gestos. Graduou-se em enfermagem, construiu escola dentro do terreiro, vem escrevendo livros de deliciosa literatura e palestrado a outras gentes sobre a essência de sua religião e a grandeza de um povo que transforma dor em beleza.

Mãe Stella é, hoje, o oráculo vivo da Bahia; o colo carinhoso e a voz que lidera; a expressão pessoal de até onde pode chegar o povo negro, pelos caminhos da educação e da fé.

Mãe Stella é, agora, Doutora Honoris Causa pela Universidade do Estado da Bahia. Ou melhor: a Uneb torna-se, agora, muito mais “Universidade da Bahia” ao conferir esse título a Mãe Stella.

 

Dona Canô participa, em Santo Amaro, da festa pelos 120 anos do Bembé do Mercado, evento em homenagem à Abolição da escravatura. Foto: TOINHO SIMÕES | Agência A Tarde 13.5.2009

Dona Canô participa, em Santo Amaro, da festa pelos 120 anos do Bembé do Mercado, evento em homenagem à Abolição da escravatura. Foto: TOINHO SIMÕES | Agência A Tarde 13.5.2009

E, por último, Dona Canô Velloso, que amanhã (16.9.2009) completa 102 anos de vida, lucidez e sabedoria. Mas essa já ocupa o supremo patamar das “entidades” e só me cabe dizer: a bênção, Dona Canô, a bênção, minha comadre!

 

Jorge Portugal – Tiete de Penha, “filho” de Stella e compadre de Canô. secretaria@jorgeportugal.com.br

 

(*) Transcrito da página de Opinião do jornal A Tarde de 15/09/09

 

Anúncios

Tags: , , ,

3 Respostas to “MARIA DA PENHA, MÃE STELLA, DONA CANÔ”

  1. barreto Says:

    ah grande professor!
    sábias mulheres, mães da bahia, do brasil
    brigadim por mais essa lição

  2. Marlon Marcos Says:

    Lindas!!! Uma história bem contada. Ontem eu vi, em Santo Amaro, D. Canô – poema vivo da longevidade. À noite, no TCA, Mãe Stella sendo homenageada pela voz de Margareth Menezes; Mãe Stella – sabedoria litúrgica numa postura política habilidosa! Maria da Penha – lei e dignidade em prol das mulheres. Vidas Vivas. Graças a Deus.

  3. marcio luis rodrigues dos santos Says:

    YA, AGO. MUITO ASÉ PARA A EBOMY MAIOR DO ASÉ DA BAHIA. QUE ODÉ OLORUM LHE ENCHAM DE BÊNÇÃO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: