TRIUNFO DA MEDIOCRIDADE ARQUITETÔNICA

Fachada do Aero Clube Plaza Show. Foto: Xando Pereira | Agência A Tarde – 7.4.2008

Fachada do Aero Clube Plaza Show. Foto: Xando Pereira | Agência A Tarde – 7.4.2008

LÍDICE EXPLICA O LANCE DO AEROCLUBE

ANTONIO RISÉRIO

Em meio a um artigo indignado sobre a situação da cidade, que publiquei aqui neste jornal[*], no primeiro sábado deste agosto, bati pesado em minha querida Lídice da Mata, disparando de cara, sem maiores floreios: “Lídice deixou que fizessem aquela porcaria do Aeroclube”. Pois bem. Ela me enviou uma carta, respondendo. Ou, antes, esclarecendo o que aconteceu naquela parada. Desde que a carta não cabe neste espaço, faço um resumo do que li, com citações.

Lídice diz que, quando assumiu a prefeitura, a administração anterior já havia realizado um “concurso nacional de idéias” para ocupação da área do Aeroclube, com apoio de várias “entidades democráticas”, entre elas, o Instituto de Arquitetos do Brasil. “Dois famosos arquitetos baianos venceram a disputa”, informa Lídice. “Nosso governo teceu críticas ao projeto. Abrimos novo debate público. Mas nossa iniciativa provocou uma mobilização nacional dos IABs de diversos estados, além de sua diretoria nacional”. Todos se manifestaram contra a possibilidade de uma anulação do concurso. “Decidimos então apenas discutir os parâmetros de elaboração para o edital de concorrência pública nacional para a área”.

“Estabelecemos limites e garantimos que apenas um terço da área teria exploração privada. Claras determinações de formação do Parque Público dos outros dois terços restantes da área estão expressas no contrato realizado. Deixamos pronta na Prefeitura uma maquete de uma concha acústica projetada por Oscar Niemeyer para ser construída no local”.

Ainda Lídice: “Desde que a Câmara de Vereadores autorizou e o empreendimento vencedor foi lançado para o mercado, passamos a viver uma verdadeira guerra jurídica promovida por interessados em impedir que a obra fosse concluída em minha gestão. A batalha judicial arrastou-se por dois anos. Mesmo assim, realizamos, naquela área, obras de infra-estrutura para garantir a reconfiguração ambiental original e a recuperação dos pequenos morros existentes até hoje, além da macro-drenagem, ciclovia, grama, plantio de árvores, de acordo com o que era determinado pelo concurso nacional de idéias”.

E mais: “Terminamos a gestão com o impedimento legal da implantação do empreendimento pelo Tribunal de Justiça baiano, situação só superada na administração seguinte. Aliás, o fato curioso disto é que, já deputada estadual, tomei conhecimento de que o governo da época solicitou dos empreendedores que não citassem o meu nome durante a festa da inauguração”.

Situação desoladora no Aero Clube Plaza Show. Sem freguesia, lojas fecharam e algumas entraram em reforma. Foto: Xando Pereira | Agência A Tarde

Situação desoladora no Aero Clube Plaza Show. Sem freguesia, lojas fecharam e algumas entraram em reforma. Foto: Xando Pereira | Agência A Tarde

Bem. Fica aí o esclarecimento para quem, como eu, não sabia dessa história. Aquela porcaria do Aeroclube (tenho outros modos bem menos simpáticos e tolerantes de me referir àquilo) não é coisa de Lídice. Tem outro dono – ou donos. Mas gostaria, ainda, de fazer uns comentários laterais à carta.

Que uma coisa tão ruinzinha como aquela tenha vencido um “concurso nacional de idéias”, é atestado espetacularmente definitivo do triunfo da mediocridade arquitetônica em nosso país. Idéias? O que há, ali, é justamente a materialização mal ajambrada da falta de uma idéia! Quem terá participado do júri? Gostaria, também, de saber quem são os “dois famosos arquitetos baianos”, para a gente escolher o local mais adequado da cidade onde erguer um monumento a ambos. Por fim, esplêndido o lance da obra de Niemeyer. Se realizada, seria para a eterna humilhação estética do que foi feito.

No meu artigo, eu dizia também da existência de um projeto maravilhoso de João Filgueiras Lima, o Lelé, para o local. Lídice, em sua carta, disse que nunca teve conhecimento do projeto. É uma pena. O projeto é de 1986. Dá vontade de passar horas contemplando a maquete. Com uma cobertura de concreto e outra, bem maior, de lona translúcida, sustentada por cabos de aço ancorados em mastros metálicos.

Vista do mar, a figura total da edificação é como se a areia da praia se ondulasse numa duna alvíssima, high-tech. Um show de inserção ambiental. Delicadeza e precisão extremas. Com espaços para lazer, feiras, escritórios, etc. E um surpreendente Museu do Mar, completando-se num aquário com um túnel dotado de visores de vidro, permitindo curtições visuais sub-aquáticas. Isto, sim, é uma verdadeira e forte idéia arquitetônica. Dá para sentir a diferença?

*O artigo indignado de Risério, “Vamos mostrar ao prefeito a saída?”, foi publicado originalmente no jornal A Tarde em 1º de agosto de 2009 e reproduzido no Jeito Baiano:

https://jeitobaiano.wordpress.com/2009/08/01/vamos-mostrar-ao-prefeito-a-saida/

Anúncios

Tags: , , , ,

2 Respostas to “TRIUNFO DA MEDIOCRIDADE ARQUITETÔNICA”

  1. LOURENÇO MUELLER Says:

    Jary e Risério,
    Tem coisas que precisam ser ditas e contadas.
    Participei desse concurso do Aeroclube com o escritório de um amigo e perdemos. Não entro no mérito da nossa proposta, estenderia muito este comentário, mas era algo contemporâneo, não aquele equvoco cultural!
    Na comissão julgadora estava a arquiteta paulista Rosa Kliass (substituindo um arquiteto amazonense na última hora) que também era consultora da equipe vencedora, então projetando o Parque do Abaeté para a Conder (por sinal outro equívoco).
    No fórum promovido pelo IAB com Zezéu na presidência da mesa denunciei esse fato e o então presidente do IAB quase briga comigo, dizendo que eu queria desmoralizar o IAB.
    Era o mesmo discurso dos senadores hoje acusando a imprensa que só faz denunciar as irregularidades (também estou sendo bonzinho nas tintas…) que estão lá.
    E a prefeitura homologou os vencedores do concurso, que tiveram até uma figura omissa, um arquiteto que trabalhou com eles e já sabia do resultado do concurso antes do julgamento (!)
    Será que Lídice soube disso tudo?

  2. LOURENÇO MUELLER Says:

    Jary,

    Precisamos urgentemente divulgar mais o seu blog para que os políticos fiquem sabendo de coisas como essa, ou se conhecem essa triste história, que se coloquem…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: