BAIANICES – EXU, por zédejesusbarrêto

Assentamento para Exu num canto do estúdio do fotógrafo baiano Mário Cravo Neto, em Salvador. Foto: Fernando Vivas | Agência A Tarde

Assentamento para Exu num canto do estúdio do fotógrafo baiano Mário Cravo Neto, em Salvador. Foto: Fernando Vivas | Agência A Tarde

PADÊ  (*)

Exu, entidade iorubana cultuada como orixá em terreiros afrobaianos, é o sim e o não, significa polêmica, é a própria dialética da vida.

Aquele que faz as coisas acontecerem.

Para os católicos mais antigos como para os crentes mais modernos Exu está identificado como o demônio, cruz credo, xô satanás.

O tinhoso, o danado, esperto, o amoral, o recadeiro, dono da quizumba.

Sai de baixo!

Pois é bom que se diga que, ainda hoje e sempre, em muitos espaços desse Ilê chamado de Bahia – de todos os santos, caboclos, orixás, voduns, inquices, catedrais, templos, sinagogas, terreiros… – nada se bebe, nada se come, nada se faz e nada acontece sem as bênçãos do Senhor do Bomfim, sem que antes seja providenciada uma limpeza com batimentos de folhas sagradas…             e, primeiro que tudo, a licença de Exu, aquele que abre os caminhos e permite a ação dos homens.

Ele, Exu, o Senhor das encruzilhadas, a entidade do movimento, da comunicação entre os homens e entre os homens e as divindades.

O elo entre o humano e o desconhecido.

Laroiê!!!

***

Escultura de Mário Cravo Jr na fachada da Fundação Casa de Jorge Amado, no Pelourinho. Foto: Fernando Vivas | Agência A Tarde

Exu em escultura de Mário Cravo Jr na fachada da Fundação Casa de Jorge Amado, no Pelourinho. Foto: Fernando Vivas | Agência A Tarde

Jorge Amado escreveu no livro ‘Bahia de Todos os Santos- Guia de ruas e mistérios’:

(trecho…)

Exu come tudo que a boca come, bebe cachaça, é um cavaleiro andante e um menino reinador. Gosta de balbúrdia, senhor dos caminhos, mensageiro dos deuses, correio dos orixás, um capeta. Por isso tudo sincretizaram-no com o diabo: em verdade, ele é apenas um orixá do movimento, amigo de um bafafá, de uma confusão, mas, no fundo, uma excelente pessoa. De certa maneira, é o não onde só existe o sim; o contra em meio do a favor, o intrépido e o invencível”.

***

Deu pra entender? Tem mais!

Amigo-irmão de Jorge Amado, o artista plástico/escultor Mário Cravo Jr escreveu e dedicou ao escritor o texto-poema definitivo, que segue.

(fonte: A Tarde Cultural, de 5 jun 1993)

“ Não sou preto, branco ou vermelho;

Tenho as cores e formas que quiser.

Não sou diabo nem santo, sou Exu!

Mando e desmando, traço e risco, faço e desfaço.

Estou e não vou. Tiro e não dou.

Sou Exu!

Passo e cruzo. Traço, misturo e arrasto o pé.

Sou reboliço e alegria.

Rodo, tiro e boto; jogo e faço fé.

Sou nuvem, vento e poeira.

Quando quero, homem e mulher.

Sou das praias e da maré.

Ocupo todos os cantos;

Sou menino, avô, maluco até.

Posso ser João, Maria ou José.

Sou o ponto do cruzamento.

Durmo acordado e ronco falando.

Corro, grito e pulo.

Faço filho assobiando.

Sou argamassa, de sonho, carne e areia.

Sou a gente sem bandeira.

O espeto, meu bastão.

O assento? O vento! …

Sou do mundo, nem do campo, nem da cidade.

Não tenho idade.

Recebo e respondo pelas pontas, pelos chifres da Nação.

Sou Exu.

Sou agito, vida, ação.

Sou os cornos da lua nova; a barriga da lua cheia!…

Quer mais?

Não dou, não tô mais aqui”.

Exu, o mensageiro, em escultura de Mário Cravo Jr em frente à sede dos Correios, na Pituba, Salvador. Foto: Marco Aurélio Martins | Agência A Tarde

Exu, o mensageiro, numa escultura de Mário Cravo Jr em frente à sede dos Correios, na Pituba, Salvador. Foto: Marco Aurélio Martins | Agência A Tarde

(*) – Padê é o ‘trabalho’, o despacho, oferendas que se faz a Exu antes de qualquer atividade, pedindo a sua licença, para que ele abra os caminhos e tudo possa acontecer sem empecilhos ou encrencas.

zédejesusbarrêto, jornalista

jun/2009.

Anúncios

Tags: , , ,

3 Respostas to “BAIANICES – EXU, por zédejesusbarrêto”

  1. maisa paranhos Says:

    Lindo o texto e o poema. Não sabia que Exu é meio “Saci” traquino…

  2. mga Says:

    ba, adoro qdo fala dos orixás. Viajo, aprendo, e me sinto mais perto de minha querida Bahia de São Salvador. Axé!!!!!!

  3. renato Says:

    Belíssima postagem! Uma vez li um poema, e tenho quase certeza que era do Jorge Amado, e tinha o nome de “Exu”. Ele começa desta maneira “Ele é o primeiro a comer…” Procuro há meses na internet e não acho, caso saiba de qual poema estou falando, por favor me mande por e-mail, ok

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: